Nutrição e Alimentação na Hipercolesterolemia

A alimentação é parte essencial do tratamento da pessoa com hipercolesterolemia familiar.

Nutrientes da dieta são capazes de melhorar ou piorar os níveis de colesterol sanguíneo. Por isso, a pessoa que tem diagnóstico de Hipercolesterolemia Familiar deve ter cuidado redobrado com a alimentação, com o objetivo de evitar complicações cardiovasculares.

A gordura animal e a gordura trans que é uma gordura vegetal modificada pela indústria são as principais responsáveis pelo aumento do colesterol no sangue.

  • Miúdos e vísceras (fígado, moela, coração, miolo, etc.).
  • Carnes gordas (picanha, fraldinha, acém, costela, contrafilé, pescoço, cupim) e frango com pele.
  • Frutos do mar (camarão, lula, polvo, etc.).
  • Frios (salame, mortadela, presunto, peito de peru, etc.), embutidos (salsicha, linguiça), nuggets, hambúrguer, banha animal e bacon.
  • Leite integral e queijos amarelos (prato, muçarela, provolone, parmesão, etc.).
  • Creme de leite e manteiga.

Sim, alguns alimentos de origem vegetal também tem capacidade aumentar o colesterol e por isso devem ser evitados. São eles:

  • Margarina, óleo de palma, óleo de coco, polpa de coco e azeite de dendê.

É muito importante ler os rótulos dos alimentos industrializados, principalmente a lista de ingredientes, pois esses tipos de óleos que aumentam o colesterol muitas vezes são utilizados pela indústria.

Por exemplo o óleo de palma é utilizado como ingrediente em muitos biscoitos recheados e doces, bolos, sorvetes e chocolates.

 

A transformação de óleos vegetais líquidos em gorduras sólidas, para dar consistência a alimentos industrializado, forma a gordura trans que também pode aumentar o colesterol ruim.

 

 

Todos os alimentos fonte desse tipo de gordura devem ser evitados:

  • Sorvetes cremosos
  • Sobremesas cremosas
  • Bolos industrializados
  • Chocolates
  • Margarinas
  • Pães e biscoitos recheados
  • Pães gordurosos como croissants e folhados
  • Pães de queijo
  • Alimentos de consistência crocante (nuggets, tortas, etc.)
  • Molhos para salada
  • Pipoca de micro-ondas
  • Gordura hidrogenada
  • Coma cereais integrais (arroz, milho, trigo, aveia, pães e massas), pois são fontes de fibras que auxiliam no funcionamento do intestino e reduzem a absorção de gorduras que fazem mal ao coração.
  • Coma diariamente leguminosas como feijão, ervilha, lentilha, soja e grão de bico, e leites, iogurtes e queijos com baixa quantidade de gordura, como ricota e frescal.
  • Coma diariamente legumes e verduras no almoço e no jantar, como alface, beterraba, brócolis, almeirão, cenoura, chicória, espinafre, rabanete, abóbora, rúcula, couve etc.
  • Prefira peixes, peitos de aves sem a pele, e carnes vermelhas magras (patinho, musculo, lagarto filé mignon, coxão mole ou coxão duro).
  • Coma diariamente frutas como sobremesas e nos lanches.

MAIS DICAS DE ALIMENTAÇÃO QUE MELHORAM O COLESTEROL

  • Prefira preparações assadas, grelhadas ou cozidas, pois contêm menor quantidade de gordura.
  • Utilize no preparo das refeições, óleos vegetais, como soja, milho, canola e azeite de oliva que contêm gorduras boas para o coração.
  • Dê preferência para temperos naturais, como azeite de oliva, limão, ervas, alho, cebola, salsa, cebolinha, coentro e manjericão, evitando molhos e caldos prontos.
  • Diminua o consumo de doces (biscoitos e bolos recheados, sorvetes, chocolate, balas, compotas e outros), e bebidas açucaradas (refrigerantes e sucos industrializados).
  • As sementes (linhaça, girassol e gergelim) e oleaginosas (amêndoas, castanha-do-brasil, castanha de caju e noz) são fontes de proteínas e de gorduras boas, utilize-as como ingredientes de salada, sopa, iogurte e leite batido com frutas.
  • O bom funcionamento do organismo também depende da ingestão adequada de líquidos. Beba quatro copos de água pela manhã, e quatro copos de água no restante do dia.
  • Para pessoas que não gostam de beber água pura, uma dica para ingerir a quantidade recomendada são as águas aromatizadas. Veja algumas receitas aqui.


IMC (kg/m2) Classificação
Menor que 16 Magreza severa
De 16 a 18,5: Magreza moderada
De 18,5 a 25 Peso normal
De 25 a 30 Sobrepeso
De 30 a 35 Obesidade Grau I
De 35 a 40: Obesidade Grau II
Mais de 40 Obesidade Grau III
Fonte: WHO - World Health Organization, 1998.

Adultos (≥ 20 anos e < 60 anos)

IMC (kg/m2)Classificação
< 18,5Baixo peso para sua estatura
18,5 – 24,9Peso adequado para estatura
25 – 29,9Risco de obesidade
30 – 34,9Obesidade grau I
35 – 39,9Obesidade grau II
≥ 40Obesidade grau III

Fonte: WHO – World Health Organization, 1998. 

Idosos (≥ 60 anos)

IMC (kg/m2)Classificação
IMC < 23Baixo peso para sua estatura
≤ 23 IMC < 28Peso adequado para estatura
28 ≤ IMC < 30Risco de obesidade
IMC ≥ 30Obesidade

Fonte: OPAS – Organização Pan-Americana da Saúde, 2001.

Saiba mais

Fechar Menu